Baselworld 2020: Grupo LVMH confirma participação enquanto Bvlgari anúncia retirada

As incertezas relacionadas à evolução da atual pandemia do Coronavírus, a Bvlgari Horlogerie tomou a decisão de não participar da Baselworld 2020



"Lamentamos profundamente a decisão da Bvlgari de se retirar da próxima edição do Baselworld, afirma Michel Loris-Melikoff, diretor administrativo da Baselworld. Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com a Divisão de Relógios do Grupo LVMH e com cada uma de suas três marcas TAG Heuer, Hublot e Zenith. Trabalhamos em estreita colaboração com Stéphane Bianchi e sua equipe para oferecer a melhor plataforma de negócios para as marcas do Grupo, com controle de custos pragmático", completou Loris-Melikoff.

No início de janeiro, a Bvlgari se reuniu com um número significativo de clientes e de membros da imprensa em Dubai, no Bvlgari Resort, durante a primeira LVMH Watch Week para apresentar seus lançamento mais importantes de 2020, incluindo o relógio Serpenti Seduttori Tourbillon que bateu recordes mundiais; o relógio Diva Finissima Minute Repeater Malachite; o relógio Octo Finissimo Minute Repeater em ouro; e o relógio esportivo Octo Finissimo Automatic 100 meters em aço.

Desde então, o surto do Coronavírus – com mais de 40 mil casos identificados e mais de mil fatalidades – criou uma nova situação de contingência ao redor do mundo que inclui o aumento das restrições de viagem e o declínio acentuado do tráfego aéreo, mesmo em regiões não afetadas pela pandemia. A Bvlgari anunciou na semana passada uma importante doação para o hospital Spallanzani em Roma, que conseguiu isolar a estrutura do DNA do vírus, a fim de contribuir para a aceleração do desenvolvimento dos remédios antivírus.

Nesse contexto, e com apenas dois meses e meio da data do evento, a Bvlgari decidiu, lamentavelmente, cancelar a sua participação na Baselworld 2020 e substituí-la por roadshows em seus principais mercados para encontrar clientes e membros da imprensa que não estiveram presentes em Dubai. “Essa decisão não foi fácil, mas tendo em mente o impacto da SARS nas feiras de relógios anos atrás, além de reconhecer que a pandemia ainda está em expansão, conforme sugerido pelo provável alerta vermelho em Singapura, acreditamos que a melhor opção para a Bvlgari é ir diretamente aos mercados a partir de março.


"Como dito no passado, os principais critérios para continuar participando nas feiras de relógio serão o timing e os custos que hoje não são consistentes com os requisitos comerciais e os retornos sobre os investimentos”, comentou Jean-Christophe Babin, CEO do Grupo Bvlgari.



Fonte|Fotos: divulgação assessorias